“Supply Chain as a Service” O novo modelo de gestão na cadeia de suprimentos

por Francisco
Acessos: 288

Os tempos mudaram e o sufixo “as-a-service” vem sido constantemente comentado e já se tornou comum no dia a dia das empresas, porém, principalmente aqui no Brasil, software é a única palavra que vem antes na mente de todos.

Na Cadeia de Suprimentos das empresas, essa realidade não é diferente. Estamos vendo o surgimento de diversas plataformas que buscam automatizar muitos processos, desde a área de compras de insumos/produtos, passando pela gestão de estoque, contratação de fretes, acompanhamento das entregas em tempo real e até a “robotização” do atendimento ao cliente. Com certeza, todas elas estão ajudando muito as organizações a melhorarem seus níveis de serviço e, consequentemente, reduzir custos. Mas será que aplicá-los separadamente ou apenas quando um gargalo é identificado é o suficiente?

Bom, como é de conhecimento de todos, os valores de venda para o consumidor final, tanto de produtos como de serviços, são constantemente regulados pelo mercado. Desta forma, aquelas empresas que conseguirem uma maior eficiência em sua cadeia de suprimentos, terão uma maior probabilidade de sucesso. Por outro lado, com uma busca constante por redução de custos, a maioria busca enxugar o quadro de funcionários e, como consequência, os gestores de cada área passam a ter cada vez mais demanda de tarefas do dia a dia, fazendo com que a análise de dados para tomada de decisões e a busca por novas soluções e desenvolvimento de novos projetos, fiquem em segundo plano.

É justamente aqui que o “Supply Chain as a Service” começa a fazer todo o sentido. Essa nova forma de serviço começou a aparecer a pouco tempo nos Estados Unidos e aqui no Brasil ainda não é falada. Como já mencionado em artigos publicados pela Forbes e Harvard, a questão não é se este novo modelo vai se tornar referência, mas sim QUANDO. Mas o que seria e quais os benefícios de sua contratação?

Como funciona:

De forma simples e direta, seria a contratação de uma consultoria especializada, através de um fee mensal, a qual trabalhará na melhoria contínua de processos, trazendo novas soluções, ajudando na implementação de novos processos/ferramentas, verificando a viabilidade e melhor caminho para novos projetos, assim como fornecer dados compilados para melhor tomada de decisão e redução de custos. Vale ressaltar que toda definição de caminho a seguir será realizada pela empresa contratante e não pela consultoria.

Quais os benefícios de adotar esse modelo:

- O custo mensal é, normalmente, metade do custo de um grande executivo;

- A empresa contará com uma equipe de profissionais capacitados, focados na busca por novas soluções;

- O tempo de análise e implementação de um novo processo/ferramenta ou início de um novo projeto é drasticamente reduzido;

- A busca por uma melhor rentabilidade será sempre o foco;

- Análise minuciosa de impacto global de cada novo processo/ferramenta/projeto;

- A probabilidade de melhores acordos comerciais, devido a parcerias estabelecidas pela consultoria com parceiros estratégicos.

No Brasil, a Basso & Almeida Consultoria em Supply Chain é a pioneira em oferecer a modalidade de “Supply Chain as a Service” para seus clientes. Além dessa parte estratégica, ela oferece a possibilidade de terceirização de mão de obra para um ou mais setores da cadeia de suprimentos das empresas, realizando constantes treinamentos dos colaboradores envolvidos.

O diferencial para toda esta gestão “as a service” estará sempre amparada pelos três principais pilares da empresa: Pessoas, Processos e Sistemas. Portanto, as possibilidades de ganho para o seu negócio são praticamente imensuráveis.

Deixe seu comentário

Comentários

  • Nenhum comentário encontrado